8/18/2006

Garraiada na Ranha de Cima - Pombal

Já aqui tive oportunidade de falar que não gosto de touradas, concordo com as críticas que apontam a tourada como um espectáculo bárbaro e desumano. Penso que fazer do sofrimento de um animal um espectáculo não é um divertimento digno do século XXI. Mas respeito quem goste, eu no entanto não frequento touradas. Mas tenho que admitir que gosto de ver os forcados na tv, aliás, para mim se as touradas fossem apenas com pegas de caras eu era fã. Não concordo é com os ferros, com o sangramento do animal e mais grave ainda, como acontece em Espanha, a morte do touro. A morte não deve quanto a mim servir de espectáculo. É talvez por isso que gosto dos forcados, penso que é um desafio justo, em que o homem está em pé de igualdade, ou até inferioridade em relação ao touro. É o duelo entre a força bruta e a técnica, e isso agrada-me, já que não considero que se faça mal ao touro. Por outro lado temos as garraiadas, algo mais espontâneo, em que heróis de ocasião, que muitas vezes movidos por apostas ou pela força do álcool saltam para a arena para desafiar o touro, arriscando voarem uns bons metros nos cornos do touro. E foi isso que aconteceu na Quarta Feira em Ranha de Cima, no concelho de Pombal. Durante as festas da aldeia um grupo de jovens organizou mais uma vez a já tradicional garraiada, que teve bastante assistência, surpreendendo-me o número de pessoas que num dia de semana assistiam aos corajosos forcados de improviso, que se metiam à frente do touro. A organização para incentivar as pessoas a entrarem na arena improvisou um bar no centro do recinto, e segundo a mesma, distribuiram cerca de 15 litros de cerveja, aos corajosos que lá se deslocaram. Alguns a meio do percurso ainda levaram umas cornadas, mas nada que fizesse estragos, tendo sido um dia calmo para os bombeiros voluntários que lá se deslocaram por prevenção.
Há noite havia baile com a Anabela, e espectáculo com as Tayti, mas devido à chuva forte que se fez sentir nessa noite acabei por não me deslocar lá. Mas segundo relatos que ouvi, a chuva não foi impedimento para a festa se realizar, e o baile durou noite dentro.

Aqui ficam as fotos (desculpem a qualidade de algumas, mas a maquina não era minha, e um senhor de azul teimava em meter-se à frente):
Foto1 | Foto2 | Foto3 | Foto4 | Foto5 | Foto6 | Foto7 | Foto8

6Pessoas cantarolaram ao som desta música:

At 8/18/2006 05:47:00 PM, Blogger Mufasa said...

Morte ao senhor de azul! Então e tu, Tino, também te foste meter à frente do touro?

 
At 8/18/2006 08:28:00 PM, Anonymous Nika said...

Srja qual for o tipo de tourada, meta ferros, meta morte, seja o que for, continuo a não gostar. Acho estupido mesmo que estejam ali a divertir-se às custas do animal. Não sei qual é a piada de estarem a gozar com o bicho. Não tenho pena nenhuma daqueles que levam grandes cornadas e ficam marcados para o resto da vida. Enfim, Tayti e Anabela, tudo bem, agora os touros não considero espéctaculo.

 
At 8/19/2006 07:39:00 AM, Anonymous metalhead said...

MUAAHHAHAHAHAHHA
"ah e tal, a makina n era minha"..pois,pois! =P mt bom este espirito das garraiadas!!deve ter sido um espectaculo deveras curioso! e o trofëu valia a pena!K sonho!!!!=D

 
At 8/19/2006 07:37:00 PM, Anonymous m * said...

quando isto for um touro...

 
At 8/19/2006 11:55:00 PM, Anonymous Bicho Power said...

epá tenho examente essa opinião... as touradas deviam de ser so tipo forcados... assim sim... animal contra o touro!!!lol
o teu blog é algo de unico... força ai
aquele abraço Marco Ferreira

 
At 8/20/2006 01:20:00 AM, Blogger ASGdinho said...

desde quando é q aquilo é um touro????
aquilo ainda é um bezerro (embora pudesse ter ja alguma força).
Quem quizer ver garraiadas a sério dirija-se a vila franca de xira no inicio de julho (proximo ano portanto), ou a santarém durante a feira da agricultura. E vejam o que são animais a sério (ja pa não falar no gado vacum de duas pernas)

 

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home

eXTReMe Tracker